Na semana passada, chegamos ao 6º episódio do Abertura Total. Me senti esperto e inteligente por ter feito uma boa reserva de episódios. Contudo, não havia considerado que junto disso, se passaram seis semanas desde que comecei isto aqui. E também que desleixei grandão durante metade disso.

feedback da moçada é excelente e animador. Minha gratidão pela boa aceitação é imensurável, posto que demorei um bocado a realmente conseguir virar uma página já gasta, amassada, rabiscada e borrada da minha trajetória artística.

“Melhor ter vários episódios já enfileirados porque… sei lá, essa porra dessa vida não me deixa em paz”.

Este foi o pensamento quando comecei. Agora percebo que fiz bem. Necessidade extrema por terapia pra me definir; fim de namoro longo; falta de saco pra freela. Nada de extraterreno em nenhuma dessas coisas. Longe de mim querer fazer mimimi por bagulhos tão pequenos e tão facilmente relacionáveis. Não é como se eu tivesse sido abduzido por alienígenas ou enterrado vivo tipo Oldboy.

Enfim… é uns bagulho paia que acontece. Entre sofrer por essas coisas e ficar puto por ter perdido tempo e energia ~sofrendo~, prefiro ficar puto… na primeira brecha que o sofrimento der KKKKKK AIAI EU TO IMPOSSIVEL HJ.

Porém, fato é que não programo tweets de divulgação desde o 3º episódio. Desacelerei o pique das interações. E mais importante do que isso tudo: a fila que programei tá acabando. Tem o episódio de amanhã e depois não tenho mais nada.

Bem… Não faço a mínima ideia do próximo tema.

A boa notícia nisso é que não é por insegurança e medo. A má notícia é que talvez venha algo ~experimental~. Pra cima e além disso, talvez role uma cara-de-pau de pedir doações simbólicas no Padrim. Simbólicas mesmo. Não tô em ritmo de produção o bastante pra estabelecer meta e pedir valor alto ainda.

Continuo fazendo tudo porque acho do caralho, mas a real é que adoraria chegar no ponto de não ter que freelar por mixaria e poder fazer só isso aqui e o Decrépitos pra bancar minha vida – cujo custo agora é ainda mais baixo do que já era.

Sério, outro dia rolou um total de 9 minutos e 42 segundos distribuídos em 22 mensagens de áudio, todos sobre um único arquivo de um único freela. Falei “acho que retenho informação melhor por escrito” e recebi um “tem um botão de pause nas mensagens não sei se você viu”.

Quase quebrei meu laptop.

Categorias: Blog

The Brazilian Rafael Mordente

The Brazilian Rafael Mordente é um artista brasileiro que presta tributo ao poeta luso-português Rafael Mordente (1812-2010).